Como Singapura virou um hub financeiro? Conheça o Fundo de Desenvolvimento do Setor Financeiro, uma das iniciativas responsáveis

Há anos a Autoridade Monetária de Singapura tem usado diferentes instrumentos para se estabelecer como um centro financeiro global. Entre os principais mecanismos está o Fundo de Desenvolvimento do Setor financeiro, lançado em 1999.
Como Singapura virou um hub financeiro?
Data
Autor
Equipe Propague
Produto
Compartilhar

Parte do sucesso de Singapura em se estabelecer como um dos principais centros financeiros do mundo se deve às iniciativas da Autoridade Monetária de Singapura (MAS) para tornar o setor financeiro da região mais resiliente e inovador. Entre os projetos tocados pelo MAS que tem cumprido esse papel está o Fundo de Desenvolvimento do Setor Financeiro (FSDF), criado em 1999. O fundo, controlado e administrado pela autoridade monetária, tem as seguintes diretrizes:

  • Promover Singapura como centro financeiro;
  • Desenvolver e atualizar habilidades e conhecimentos exigidos pelo setor de serviços financeiros;
  • Desenvolver e apoiar instituições de ensino e pesquisa, programas de pesquisa e desenvolvimento e projetos relacionados ao setor de serviços financeiros;
  • Desenvolver infraestrutura para apoiar o setor de serviços financeiros.

A fim de atingir esses objetivos, o FSDF apoia uma ampla gama de projetos, com iniciativas que visam desde a educação do consumidor (como as 23 oficinas de alfabetização financeira realizadas em escolas, eventos e seminários públicos) até o suporte nas áreas de desenvolvimento de talentos; tecnologia e inovação; e atividades do setor financeiro. Em julho de 2022, a instituição publicou um relatório contendo as principais iniciativas do fundo para cada uma dessas área, demonstrando a relevância da iniciativa 23 anos depois de seu lançamento.

Desenvolvimento de Talentos

No âmbito da qualificação e desenvolvimento de talentos, o órgão destacou a parceria com o Instituto de Bancos e Finanças (IBF) para construir um forte pipeline de especialistas, líderes e outros talentos no setor de serviços financeiros.

Visando atingir os profissionais no início da carreira, o Fundo de Desenvolvimento lançou, em maio de 2021, o Programa de Apoio ao Trabalho-Estudo (WSSP) para incentivar instituições financeiras a contratarem e treinarem estudantes por meio de estágios.

Além disso, foram lançados o Programa de Gestão De Associados às Finanças (FAMS) e o Programa Internacional de Postagens (iPOST), que focaram em proporcionar oportunidades para que cerca de 200 profissionais fossem equipados com capacidades internacionais e treinados em áreas prioritárias, como gestão de portfólio, finanças verdes e tecnologia.

Já para atingir profissionais em níveis mais avançados da carreira, o Fundo de Desenvolvimento apoiou a Asian Financial Leaders Scheme (AFLS), destinado a qualificar profissionais promissores para papéis de liderança. Além disso, visando a construção de expertise em áreas especializadas, a Bolsa de Especialistas Financeiros (FSS) apoiou profissionais na realização de programas de pós-graduação.

Tecnologia e Inovação

Contudo, as autoridades entendem que não basta garantir profissionais de qualidade, sendo necessário, ainda, construir um ecossistema dinâmico que ofereça as oportunidades necessárias. Assim, o Fundo de Desenvolvimento do Setor Financeiro desenvolveu o Regime de Tecnologia e Inovação do Setor Financeiro (FSTI) para acelerar a inovação e a adoção de tecnologia.

Apenas em 2021 foram mais de 80 projetos apoiados pelo FSTI. Entre os projetos de maior destaque está o Singapore Financial Data Exchange (SGFinDex), que é a primeira infraestrutura digital pública do mundo a usar uma identidade digital nacional e sistema de consentimento on-line gerenciado centralmente para permitir que os indivíduos consolidem seus dados financeiros oriundos de diferentes instituições.

O fundo também contribuiu com o Project Dunbar, uma plataforma para o uso de CBDCs em transações transfronteiriças, e os Projetos de Inteligência Artificial e Data Analytics (AIDA) para promover a adoção de IA entre instituições financeiras e empresas FinTech.

Atividades do Setor Financeiro

O Fundo de Desenvolvimento mirou, também, determinados setores dentro do sistema financeiro. O FSDF apoiou, por exemplo, iniciativas em áreas-chave como as emissões de títulos do Global-Asia Bond Grant Scheme, o Sustainable Bond Grant Scheme e o Insurance-Linked Securities (ILS).

Além disso, deu suporte financeiro para a criação do Centro Nacional de Finanças Sustentáveis e Verdes (SGFIN), um centro de excelência para aprofundar o conhecimento e as capacidades financeiras sustentáveis em Singapura.

Dessa forma, o funcionamento do FSDF tem sido usado de exemplo de como a autoridade monetária de Singapura está empenhada operar como um incentivador da inovação, apostando em um desenvolvimento contínuo da região enquanto um centro global de finanças e, principalmente, de tecnologia financeira.

Leia mais:

Open Finance em Singapura e o impacto no mercado asiático

Singapura é o maior hub de tecnologia na Ásia?

 Hong Kong está se transformando em um hub global de tecnologia financeira, acompanhando outros destaques asiáticos como Singapura

 

Confira também:

Todos os produtos

Quer se
aprofundar mais?

Com uma linguagem simples de entender, as análises do Instituto Propague vão te deixar por dentro dos principais temas do mercado.

Leia agora!