Hong Kong está se transformando em um hub global de tecnologia financeira, acompanhando outros destaques asiáticos como Singapura

A região está se tornando um dos grandes centros globais de tecnologia financeira. Aproveitando as oportunidades criadas pela região, o banco central de Hong Kong está trabalhando para impulsionar ainda mais o ecossistema para Fintechs.
Hong Kong está se transformando em um hub global de tecnologia financeira, acompanhando outros destaques asiáticos como Singapura
Data
Autor
Equipe Propague
Produto
Compartilhar

A região da Grande Baía de Guandong-Hong Kong-Macau está se tornando um dos grandes centros globais de tecnologia, mais especificamente tecnologia financeira. A expectativa é que a região aproveite sua localização privilegiada para se alavancar ainda mais. A área compreende 11 cidades e, atualmente, é uma das principais fronteiras de abertura econômica por parte da China. Tal movimentação acompanha outros destaques da Ásia, como Singapura, que se destaca no sudeste asiático.

Tal busca pelo status de hub de tecnologia tem resultado em um grande número de iniciativas que impulsionem o desenvolvimento do mercado tanto por parte das empresas, como das autoridades.

No caso de Hong Kong, o nicho financeiro tem sido visto como uma grande oportunidade e a autoridade monetária já está se movimentando para estabelecer um ecossistema de fintechs que seja referência global.

Hub de tecnologia financeira: o desenvolvimento do ecossistema de Fintechs em Hong Kong

A Autoridade Monetária de Hong Kong (HKMA), por exemplo, declarou em 2021 esperar que o setor financeiro da cidade adotasse totalmente as soluções de tecnologia financeira até 2025. A instituição mira, especificamente, cinco áreas: modernização de todos os bancos, CBDCs, criação de uma infraestrutura de dados, expansão da força de trabalho para a área e fortalecimento do ecossistema de fintechs.

Nesse sentido, uma das estratégias é fortalecer os laços da região com a economia Chinesa. Em 21 de outubro de 2021, a HKMA e o Banco Popular da China (PBoC) assinaram o “Memorando de Entendimento sobre Cooperação de Supervisão de Inovação Fintech na Área da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau”.

A inciativa tinha como objetivo conectar o Fintech Innovation Regulatory Facility do PBoC com o Fintech Supervisory Sandbox da HKMA, criando um ambiente para instituições financeiras e empresas de tecnologia realizarem testes piloto com iniciativas fintech transfronteiriças de forma controlada e com grupos de clientes selecionados.

Mirando talentos futuros em tecnologia financeira

A autoridade Monetária de Hong Kong, entretanto, não pretende parar pôr aí e anunciou uma iniciativa conjunta para desenvolver talentos em jovens que buscam trabalhar em fintechs na Área da Grande Baía. Foco esse que engloba outros mercados asiáticos, como o de Singapura, onde também há um esforço para buscar talentos na área.

O projeto convocado pela HKMA, Bloomberg e pela Associação de Jovens Unidos de Hong Kong conta com o apoio de 20 instituições financeiras. A iniciativa será conduzida pelos parceiros da autoridade monetária para ajudar a juventude a se preparar para uma carreira de sucesso em tecnologia financeira. As instituições envolvidas se comprometeram a oferecer treinamento técnico, oportunidades de networking e mentoria.

Com o acelerado desenvolvimento do ecossistema de fintechs em Hong Kong, o Banco Central também tem estado de olho nas demandas por diretrizes e normas regulatórias. Assim, emitiu o sétimo Guia de Prática de Adoção Regtech, com foco em diretrizes sobre o monitoramento de terceiros e gerenciamento de riscos (TPRM).

O avanço do RegTech: Uma agenda de modernização mais ampla

O documento mencionado é parte de uma série de publicações do HKMA sobre os casos de uso de Regtech na adoção de tecnologia para melhorar a gestão de risco e conformidade regulatória. Esses boletins são publicados desde 2019.

De acordo com o HKMA, os guias têm como objetivo  complementar outras iniciativas em andamento, como a  Iniciativa Banking Made Easy, Fintech Supervisory Sandbox e o Chat de Supervisão Fintech. Portanto, conecta-se com os outros projetos apresentados no texto e faz parte de uma agenda mais ampla.

O futuro tec está na Ásia? Singapura também se destaca

Assim como Hong Kong, Singapura tem buscado ser uma referência no mercado de tecnologia, tanto regional como global. Com iniciativas fortes em tecnologia financeira assim como Hong Kong, se destacando também no tratamento do mercado de criptoativos, a cidade-estado chamou atenção nos últimos anos por estar expandido o movimento para outras áreas.

Mais do que ser um hub de tecnologia financeira, Singapura busca ser referência no mercado de tecnologia de forma ampla, tendo desde 2019 um Programa Nacional de Inteligência Artificial, por exemplo.

Tal plano tem uma iniciativa específica para o desenvolvimento do ecossistema de fintechs e modernização do sistema financeiro, mas é mais abrangente e inclui outros setores considerados chave para o desenvolvimento e crescimento do país.

De qualquer forma, a busca pelo destaque no mercado de tecnologia tem sido fortemente associada especificamente à tecnologia financeira, com o setor ganhando destaque estratégico em vários países da Ásia. Juntando as iniciativas de Hong Kong, Singapura com o já estabelecido destaque da China e Índia nas aplicações ao mercado de pagamentos, por exemplo, a Ásia tem apontado diversas tendências para o futuro da tecnologia financeira.

Leia mais:

O papel das fintechs no desenvolvimento sustentável

Open Banking e Demanda: Programas de Capacitação Financeira

Expansão das fintechs de crédito aumenta competitividade no mercado

Finanças verdes avançam em Hong Kong

 

Confira também:

Todos os produtos

Quer se
aprofundar mais?

Com uma linguagem simples de entender, as análises do Instituto Propague vão te deixar por dentro dos principais temas do mercado.

Leia agora!